ESDEP - A Escola Superior da Defensoria Pública

Compartilhe:

Defensoria da Bahia forma novos defensores e defensoras populares e incentiva a multiplicação do conhecimento em direitos

| Por: Ingrid Carmo DRT/BA 2499

On-line e dividido em oito encontros, curso chega à 3ª turma e alunos destacam o quanto aprendizado fará a diferença para comunidade

“Hoje mesmo, na rua, já me senti um defensor popular. Se eu não tivesse a instrução proporcionada por este curso, não ia saber o que fazer”. A frase é do estudante de História e militante do movimento negro, Paulo França de Jesus, que contava com orgulho a intervenção que fez no trânsito, horas antes, ao solicitar a parada de um ônibus para que um idoso pudesse entrar e, assim, ter o seu direito ao transporte garantido. Paulo não parava de agradecer à Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA pela oportunidade e por todo o conhecimento adquirido.

No final da tarde desta quarta-feira, 15, ele e mais nove colegas participaram da formatura de conclusão do curso de Formação de Defensores e Defensoras Populares e, a partir de agora, têm o dever de multiplicar o conhecimento entre as pessoas que precisam. Realizado na modalidade on-line e composto por oito encontros, o curso foi promovido pela Escola Superior da Defensoria – ESDEP em parceria com a Ouvidoria Cidadã da Instituição.

Durante a cerimônia virtual de entrega dos certificados, o diretor da Esdep, Clériston Cavalcante de Macêdo, lembrou que um ciclo se encerra e outro se inicia, pois, a partir de agora, os novos defensores e as novas defensoras populares estão prontos para intervir onde for preciso e em todas as situações que chegar até cada um, de forma voluntária ou involuntária.

“Nós, enquanto cidadãos e cidadãs, temos muito que aprender e precisamos intervir em uma realidade, sempre que necessário. O que queremos ao oferecer um curso tão inovador como este é capacitar as lideranças comunitárias e pessoas comuns, conscientizá-las sobre os seus direitos e orientar quais os caminhos seguir e de que forma é possível intervir na vida daqueles que precisam de um acolhimento e de um direcionamento para resolver um problema e para ter seus direitos garantidos”, ressaltou o atual diretor da Esdep, lembrando que esta é a terceira turma do curso, que foi idealizado em 2015 pela subdefensora-geral Firmiane Venâncio que, na época, dirigia a Escola.

Responsabilidade

Fazendo questão de mostrar que tudo que aprendeu durante o curso está anotado em seu caderno, a presidenta do Núcleo da União Brasileira de Mulheres – UBM – do bairro de Cajazeiras, Raquel Miranda, afirmou que esta oportunidade de aprender mais sobre os direitos farão toda a diferença para a comunidade onde ela mora. “É uma formação importante para nossa vida e, principalmente, para a nossa comunidade, que precisa de orientação e ficará empoderada ao levarmos tudo que aprendemos aqui”, destacou.

Além de Raquel e Paulo, quem também concluiu o curso foi Aparecida Reis, Camila Nobre, Débora Cristina Almeida, Juceli Gomes, Mônica Santos, Solange Santos, Ubiraci Santos e direto do Piauí, mas já baiano de coração [e, agora, com certificado], o ouvidor-geral da Defensoria Pública do Piauí – DPE/PI, Djan Moreira. “Este curso nos deu uma grande oportunidade. Quando se alia a teoria do conhecimento jurídico com a prática que nós vivemos poderemos, a partir de agora, amenizar uma violação de direitos. Esta é a nossa responsabilidade”, entendeu Djan.

Também destacando estas violações de direitos em todo o país e em como o aumento delas também fez crescer o número de atendimentos da Defensoria Pública, a ouvidora-geral da DPE/BA, Sirlene Assis, parabenizou os formandos pela conclusão do curso e resumiu a missão deles de hoje em diante. “São vocês, guerreiros e guerreiras, que estarão na ponta, com toda resistência e fazendo a luta em cada canto da Bahia e do Piauí pelos direitos de viver, de existir e da dignidade humana”, parabenizou a ouvidora.

O evento também contou com as participações do cantor Flávio Lima e do presidente da Associação das Defensoras e Defensores Públicos da Bahia – ADEP/BA, Igor Raphael Santos e a transmissão também foi acompanhada pela coordenadora do Mestrado Profissional em Segurança Pública, Justiça e Cidadania da Universidade Federal da Bahia – UFBA, Yvone Freire Costa, defensores públicos e servidores da DPE/BA.