ESDEP - A Escola Superior da Defensoria Pública

Compartilhe:

Esdep dá início a Painel Temático que apresenta o funcionamento da assistência farmacêutica da Bahia

| Por: Isadora Sarno

A Escola Superior da Defensoria Pública do Estado Bahia iníciou na terça-feira, 19, o primeiro dia do “Painel Temático sobre funcionamento da assistência farmacêutica no SUS”. O evento, que tem como objetivo apresentar a assistência farmacêutica da Bahia e os procedimentos que garantem à população o acesso aos medicamentos, tem como público-alvo defensores(as), servidores(as) e estagiários(as) da instituição.

Como parte da programação, foram apresentadas as palestras “Assistência farmacêutica e política de medicamentos”, “Fluxos para obtenção de medicamentos no SUS” e “Relação nacional de medicamentos essenciais (Rename)”. As temáticas são ministradas por servidores(as) da Superintendência de Assistência Farmacêutica, Ciência e Tecnologia em Saúde (SAFTEC).

Enquanto facilitadores, o evento contou também em sua abertura com a presença de Luiz Henrique d’Utra e Renata Mundim, superintendente e diretora da SAFTEC, respectivamente.

“É muito importante essa aproximação da área técnica do SUS com os órgãos de controle e toda a sociedade, que buscam a mesma coisa: um acesso mais qualificado para a população baiana. É preciso a gente entender como a assistência farmacêutica funciona para juntos construirmos essa política nacional que é fundamental no Sistema Único de Saúde”, argumentou Renata.

No segundo dia do Painel Temático, 26 de julho, serão abordados relevantes temas como o procedimento para incorporar medicamentos no SUS, a demanda de medicamentos que não estão na Rename, base de dados do CIMBAHIA/DASF para subsidiar operadores do Direito e dados de Judicialização de medicamentos da SESAB.

O defensor público e diretor da Esdep, Cleriston Macedo, realçou o significado do encontro que por ele foi mediado: “Muito importante esse compartilhamento e aproximação da Defensoria com a Sesab, que já é nossa parceira e essa relação tende a se fortalecer. É fundamental a gente saber como funciona e quais são os instrumentos que podemos utilizar para ter o melhor serviço prestado à população baiana”, afirmou.